22/08/16

Dia do Folclore Brasileiro.

O Congresso Nacional Brasileiro, oficializou em 1965 que todo dia 22 de agosto seria destinado à comemoração do folclore brasileiro. Foi criado assim o Dia do Folclore Nacional. Foi uma forma de valorizar as histórias e personagens do folclore brasileiro.
Desta forma, a cultura popular ganhou mais importância no mundo cultural brasileiro e mais uma forma de ser preservada. O dia 22 de agosto é importante também, pois possibilita a passagem da cultura folclórica nacional de geração para geração.
Comemoração
O Dia 22 de agosto é marcado por várias comemorações em todo território nacional. Nas escolas e centrou culturais são realizadas atividades diversas cujo objetivo principal é passar a diante a riqueza cultural de nosso folclore. Os jovens fazem pesquisas, trabalhos e apresentações, destacando os contos folclóricos e seus principais personagens. É o momento de contarmos e ouvirmos as histórias do Saci-Pererê, Mula-sem-cabeça, Curupira, Boto, Boitatá, etc.
Nesta data, também são valorizadas e praticadas as danças, brincadeiras e festas folclóricas.

15/08/16

Brasileira da SOCOS em Italiana .

Cenas Lamentáveis!!!



E agora???

COMO A VIDA MUDA COM A MORTE DOS PAIS…


Depois da morte dos pais, a vida muda muito. Enfrentar a orfandade, inclusive para pessoas adultas, é uma experiência surpreendente. No fundo de todas as pessoas sempre continua vivendo aquela criança que pode correr para a mãe ou o pai para se sentir protegido. Mas quando eles vão embora, essa opção desaparece para sempre.
Você irá deixar de vê-los, não por uma semana, nem por um mês, e sim pelo resto da vida. Os pais foram as pessoas que nos trouxeram ao mundo e com quem você compartilhou o mais intimo e frágil. Já não estarão presentes aqueles seres pelos quais, em grande parte, chegamos a ser o que somos.
morte2
Nunca estamos plenamente preparados para enfrentar a morte, ainda mais quando se trata da morte dos pais. É uma grande adversidade que dificilmente pode ser superada totalmente. Normalmente, o máximo que se consegue é assumi-la e conviver com ela. Para superá-la, pelo menos em teoria, deveríamos entendê-la, mas a morte, no sentido estrito, é totalmente incompreensível. É um dos grandes mistérios da existência: talvez o maior.
Obviamente, a forma como assimilamos as perdas tem muito a ver com a forma como aconteceram. Uma morte das chamadas por “causas naturais” é dolorosa, mas um acidente ou um assassinato é muito mais. Se a morte tiver sido precedida por uma longa doença, a situação é muito diferente de quando acontece de forma súbita.
Também influencia o tempo entre a morte de um de outro: se houve pouco tempo, o luto será mais complexo. Se ao contrário, o lapso for mais extenso, certamente a pessoa estará um pouco melhor para aceitá-lo.
Não apenas é o corpo que se vai, e sim todo um universo. Um mundo feito de palavras, de carícias, de gestos. Inclusive, de repetidos conselhos que às vezes irritavam um pouco e de “manias” que nos faziam sorrir ou esfregar a cabeça porque os reconhecemos nelas. Agora começam a se fazer sentir ausentes de uma forma difícil de lidar.
A morte não avisa. Pode ser presumida, mas nunca anuncia exatamente quando irá chegar. Tudo se sintetiza em um instante e esse instante é categórico e determinante: irreversível. Tantas experiências vividas ao lado deles, boas e ruins, se estremecem de repente e ficam somente em lembranças. O ciclo se cumpriu e é hora de dizer adeus.
Em geral, pensamos que esse dia nunca chegará, até que chega e se faz real. Ficamos em estado de choque e vemos apenas, um corpo rígido e quieto, que não fala e não se move. Que está ali, sem estar ali…
morte3
Porque com a morte começam a ser compreendidos muitos aspectos da vida das pessoas falecidas. Aparece uma compreensão mais profunda. Talvez o fato de não ter as pessoas queridas presentes suscita em nós o entendimento sobre o porquê de muitas atitudes até então incompreensíveis, contraditórias ou mesmo repulsivas.
Por isso, a morte pode trazer consigo um sentimento de culpa frente a aquele que morreu. É preciso lutar contra esse sentimento, já que não acrescenta nada e afunda em mais tristeza, sem poder remediar nada. Para que se culpar se você não cometeu nenhum erro? Somos seres humanos e acompanhando essa despedida, precisa existir um perdão: do que se vai para com aquele que fica ou do que fica para com aquele que se vai.
Quando os pais morrem, independentemente da idade, as pessoas costumam experimentar um sentimento de abandono. É uma morte diferente das outras. Por sua vez, algumas pessoas se negam a dar a importância que o fato merece, como mecanismo de defesa, em forma de uma negação encoberta. Mas esses lutos não resolvidos retornam em forma de doença, de fadiga, de irritabilidade ou sintomas de depressão.
Os pais são o primeiro amor. Não importa quantos conflitos ou diferenças tenham existido com eles: são seres únicos e insubstituíveis no mundo emocional. Mesmo sendo autônomos e independentes, mesmo que o nosso relacionamento com eles tenha sido tortuoso. Quando já não estão, passa a existir uma sensação de “nunca mais” para uma forma de proteção e de apoio que, de uma forma ou de outra, sempre esteve ali.

07/08/16

Curioso...

A apendicite foi descrita pela primeira vez em 1755. Antes disso, morria-se da doença que era chamada de nó nas tripas.
Quem vai fazer expedições, astronautas e pilotos de avião, podem optar por retirar o apêndice para não ter problemas durante a viagem. A Nasa impõe essa condição aos seus astronautas.
Não há provas de que a alimentação possa causar apendicite. E caroços - de tomate, de goiaba, ou sementes, como gergelim, não entopem o apêndice.
No século passado ficou famoso o caso do astro do cinema mudo norte-americano, Rodolfo Valentino, símbolo sexual dos anos 1920. Ele demorou a operar o apêndice e morreu de peritonite, aos 31 anos.
O apêndice tem um tecido chamado linfóide, produtor de uma série de glóbulos brancos, chamados linfócitos, que o organismo usa em seu sistema de defesa. "É tão pequena essa produção, que se o órgão for retirado, não faz diferença", diz Sérgio Leandro Maciel Pomini, cardiologista especializado em atendimentos de urgência, de São Paulo. Na infância e na adolescência, essa produção de linfócitos é grande - e o tecido linfóide pode crescer, fazendo o apêndice aumentar de tamanho, obstruindo os vasos sangüíneos que irrigam o órgão, entupindo-o e dando início ao processo inflamatório. O órgão também pode entupir se acontecer de ele girar sobre si mesmo, cortando o fluxo sangüíneo e a limpeza do muco intestinal. É o que popularmente se conhece como 'nó nas tripas'.
 A apendicite também pode ser um processo agudo obstrutivo. Os pedacinhos de fezes - os fecalitos - impedem a limpeza fisiológica do muco que reveste as paredes do intestino, do apêndice inclusive. O fecalito e o muco entopem o apêndice, com diminuição da circulação sanguínea e favorecendo a proliferação excessiva de bactérias. Isso provoca a inflamação que faz o apêndice aumentar de tamanho.

Por que as orelhas e o nariz crescem com a idade?


2

Por volta dos 18 anos (às vezes mais), a cartilagem vira osso, e a pessoa pára de crescer. Porém, nos adultos, há cartilagens em locais onde a flexibilidade é importante: como nariz e orelha. Nesses locais, as cartilagens não se ossificam, elas continuam crescendo, mas não se assustem com isso pois essas estruturas crescem muito pouco e só se tornará desproporcional ao corpo se vivermos pelo menos um 200 anos!
As orelhas crescem 1,2 centímetros, em média, a cada 50 anos. E uma lógica parecida vale para o nariz, formado de cartilagem, como as orelhas. O tecido fibroso cumpre o papel dos ossos, mas, ao contrário destes, não para de crescer após a puberdade.

Arroz integral, aveia, chia, quinoa, trigo, feijões e ervilhas. Todos saudáveis com muitos nutrientes. Certo ? Não é bem assim que acontece …

grãos-1200x545_c (1)

Existe um ponto muito importante no consumo dos grãos, o modo de preparo antes de consumi-los. Porém poucos médicos e nutricionistas falam sobre isso.
Todo mundo já viu, nem que seja por um dia na casa da avó, uma tigela em cima da pia cheia de água com os grãos de feijão dentro. Talvez os nossos avós tivessem esse hábito, simplesmente para que, no dia seguinte, eles cozinhassem mais rápido.
Possivelmente nossos antepassados tinham um domínio muito maior sobre o que comiam, sobre o que fazia bem ou mal para os seus corpos. E sabiam, sim, que deixar de molho significava um processo de fermentação para neutralizar a ação dos antinutrientes. Podiam não saber o que eram nutrientes, mas sabiam o que fazia bem.
Os grãos, todos eles, possuem uma grande quantidade de ácido fítico, uma substância que se liga ao cálcio, ao ferro, ao magnésio, ao zinco e a vários outros nutrientes, bloqueando a absorção desses pelo corpo. Eles literalmente sequestram esses nutrientes da nossa comida e em algumas situações do nosso corpo, das nossas reservas. Por isso o nome antinutrientes.
Para neutralizá-los é necessário fazer esse processo de fermentação super simples, e que os nossos ancestrais já faziam com grande sabedoria, deixando de molhos. Essa fermentação solta bolhas, gases.
Assim sendo, a primeira providência que deve ser tomada no preparo de sementes para consumo é a de eliminar ou minimizar estas substâncias protetoras. Felizmente, o processo é simples e prático, e consiste em deixar as sementes de molho em água potável adicionada de vinagre de maçã ou suco de limão ou qualquer outro meio de cultura ácida de probióticos.
Esta simples solução ácida penetra no interior da semente e estimula a liberação das substâncias indesejadas, indicando para a semente que é tempo de despertar e eliminar suas defesas. A acidez da solução neutraliza os fitatos e o resultado é que com apenas algumas horas de demolhagem você obtém sementes muito mais adequadas para o processo digestivo.
Idealmente, aguardamos 24 horas para o máximo de eliminação das substâncias indesejadas, mas 12 horas já são suficientes para eliminar a maior concentração destas.
Escolha um recipiente de louça ou vidro, deposite as sementes, despeje o dobro da medida destas em quantidade de água e adicione uma parte de substância ácida, calculando aproximadamente uma colher de sopa de ácido para uma xícara de água. Ou seja, se você quiser deixar uma xícara de arroz integral de molho, utilize duas xícaras de água potável (mineral ou muito bem filtrada) e duas colheres de sopa do ácido escolhido (vinagre, suco de limão, kefir, entre outros).
Sempre descarte a água na qual as sementes ficaram de molho, pois nela estão contidas as substâncias que desejamos eliminar.
Posso apenas demolhar com água?
Sim, e já faz alguma diferença, embora estudos realizados (testando trigo, centeio e aveia) demonstrem que o processo de demolhagem com água neutraliza entre 46 e 77% do ácido fítico, enquanto que demolhar em solução ácida elimina entre 84 e 99% destas substâncias, além de eliminar também fungos e bactérias indesejáveis presentes no exterior das sementes. Desta forma, prefira sempre utilizar a solução ácida.
Existe um grão que, mesmo com esse processo de deixar de molho, não se consegue neutralizar os antinutrientes: a soja. Ela contém tanto ácido fítico que seriam necessários meses e não horas de molho para que seus antinutrientes sejam neutralizados. Ela contém mais fitato do que qualquer outro grão.
Uma dieta rica em grãos não fermentados leva a sérias deficiências de minerais e perdas ósseas. Deficiências nutricionais que podem levar a doenças como dores crônicas, dor de cabeça e fibromialgia.
O zinco e o magnésio são necessários para o bom funcionamento do cérebro e do sistema nervoso. O zinco, em particular, está envolvido na produção de colágeno, na fabricação de proteí­nas e no controle dos ní­veis de açúcar no sangue, além de ser um componente de várias enzimas e ser essencial para o nosso sistema de defesa. Os fitatos da soja prejudicam a absorção do zinco mais do que qualquer outra substância.

O que está liberado somente são o shoyu e missô. Eles sofrem uma processo de fermentação natural em seu preparo que neutralizam os antinutrientes. Mas fique de olho, no rótulo tem que estar escrito “fermentação natural”. E no shoyu não consuma nenhum que contenha glutamato monossódico.
Com as castanhas, o molho deve ser com um pouquinho de sal, e não em meio ácido. E o motivo é diferente. Elas (nozes, pecãs, avelãs, amêndoas, entre outras) possuem toxinas nas peles que sobrecarregam demais o aparelho digestivo. Muitas vezes, após ter comido nozes demais, você já pode ter sentido pesar o estômago ou dor de cabeça, não?
Além disso, deixar castanhas e sementes de molho neutraliza inibidores enzimáticos que potencializam esses nutrientes existentes, ou seja, uma castanha/grão/semente que ficou de molho tem mais nutrientes do que um que não foi deixado.
A dica então é cobrir com água e um pouquinho de sal e deixar de molho por pelo menos 8 horas. Escorrer e secar no forno em temperatura mínima. No máximo 60 graus.
Esse cuidado é necessário para não oxidar o óleo presente nas castanhas, que é o maior presente para a nossa saúde. As sementes e as castanhas, após escorrida a água, podem ser também aquecidas em frigideira com fogo bem baixo por 10 minutos e sempre mexendo para que não torrem demais.
“Faça do seu alimento o seu remédio” (Hipócrates)

04/08/16

Emocionante...

Aos 84 anos e numa cadeira de rodas, o Velho Lobo emocionou o público ao participar da cerimônia de condução da tocha olímpica. Tetracampeão pela seleção brasileira, Zagallo recebeu a tocha do amigo Carlos Alberto Parreira. Bastante debilitado, ele esteve internado durante 15 dias, porque o estômago parou de funcionar.
No Twitter, internautas comentaram a emoção ao ver a cena. Alguns deles usaram a já clássica frase do ex-trenador, “Vocês vão ter que me engolir”, para descrever o momento:



Bom dia...

"Se tens um coração de ferro, bom proveito.
O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia"
José Saramago

03/08/16

Technology 2050

EXEMPLO HOLANDÊS ...

Quando um país liberal como a Holanda, na Europa, "desliga a tomada" do islamismo, o mundo está começando a perceber a luz.
A Rainha Beatrix da Holanda compareceu a um concerto em Amsterdam. O Regente da orquestra, era um Muçulmano, começou a falar de sua crença Islâmica.
Todos os componentes da orquestra se levantaram e deixaram o palco, recusando se associar a alguém querendo "dar uma aula" para a sua Rainha. Funcionários do Teatro retiraram o regente do palco , após um questionamento, para fora do prédio do teatro. Isto requereu coragem. 

Certamente vocês não viram isso no seu noticiário local/internacional.


31/07/16

Para os corajosos...



Os parques de diversões sempre buscam inovar em seus brinquedos e atrações. Esse parque na Alemanha, o “Phantasialand”, conseguiu justamente isso. O parque, inaugurado em 1967 em Berlim está dividido em diversas áreas temáticas, como a África profunda, China Town e Talocan, que se refere às civilizações do antigo México.
Uma grande caverna com temática asteca abriga o brinquedo, com capacidade de até 40 pessoas. Quando é iniciado, o equipamento gira em si mesmo, e ao longo do eixo, como um balanço com dobradiças nas laterais. A sensação deve ser assustadora. A pior parte porém, é quando ele para, nas alturas, deixando metade das pessoas penduradas de cabeça para baixo e a outra metade olhando o teto da caverna. Simplesmente assustador!!


23/07/16

Lista de mascotes Olímpicos e paraolímpicos

EdiçãoMascoteEspécieDesignerSignificado
Grenoble 1968SchussEsquiadorMme Lafargue(mascote não-oficial)
Munique 1972WaldiCachorro DachshundOtl AicherRepresenta os atributos dos atletas: resistência, tenacidade e agilidade.
Innsbruck 1976SchneemannBoneco de neveRepresentou os "Jogos da Simplicidade"
Montreal 1976AmikCastorUm dos símbolos nacionais do Canadá
Lake Placid 1980RoniRacumDonald MossSua face representa os chapéus e os óculos usados pelos competidores.
Moscou 1980MishaUrsoVictor ChizhikovSímbolo nacional da União Soviética.
Sarajevo 1984VučkoLoboJoze TrobecSimboliza o desejo dos humanos de ser amigos dos animais.
Los Angeles 1984SamÁguiaRobert Moore (The Walt Disney Company)Símbolo dos EUA.
Calgary 1988Hidy e HowdyDois ursos polaresSheila ScottRepresentam a hospitalidade do oeste canadense
Seul 1988HodoriTigreHyun KimAnimal comum nas lendas sul-coreanas.
Albertville 1992MagiqueEstrela de geloPhilippe MairesseSubstituiu a cabra "Chamois";
Barcelona 1992CobiUm Pastor Catalão estilizadoJavier Mariscal
Lillehammer 1994Haakon e KristinDuas crianças norueguesasAmbas vestem roupas tradicionais.
Atlanta 1996IzzyFigura abstrataJohn RyanSeu nome deriva de "Whatizit?" ("O que é isso?", em inglês), por que nem os criadores sabem o que ele significa.
Nagano 1998Sukki, Nokki, Lekki e TsukkiQuatro corujasUma para cada ano entre dois Jogos Olímpicos.
Sydney 2000Olly, Syd e MillieKookaburra,Ornitorrinco e EquidnaMatthew HattonOlly representa o espírito de generosidade, Syd o meio-ambiente e a energia do povo da Austrália e Millie o novo milênio.
Salt Lake City 2002Powder, Copper e CoalLebre americana,Coiote e Urso-negroLandor/PublicisRepresentam o Lema Olímpico: "Citius, Altius, Fortius"
Atenas 2004Athena e PhevosBonecos antigosSpyros GogosDuas crianças estilizadas como bonecos da Grécia Antiga.
Turim 2006Neve e GlizBola de neve e cubo de geloPedro AlbuquerqueGentileza, elegância e vivacidade.
Pequim 2008FuwaPeixe, panda gigante,Chama Olímpica, chirue andorinhaHan MeilinSeus nomes formam a frase "Beijing huan ying ni", que significa "Pequim dá as boas-vindas a você".
Vancouver 2010Miga, Quatchi e SumiHíbidro de urso e orca, sasquatch e urso-negroVicki Wong eMichael MurphyMistura de animais da fauna da Colúmbia Britânica e criaturas mitológicas.
Londres 2012Wenlock e MandevilleGota de aço com câmera para os olhos.Batizado com o nome da aldeia deMuch Wenlock e Stoke Mandeville, berço dos Jogos Paraolímpicos.
Rio de Janeiro 2016Vinícius e TomHíbrido de felino, macaco e ave; híbrido de plantas e árvores brasileirasBirdo ProduçõesExplora a diversidade da fauna e flora brasileiras.

Para reflexão

22/07/16

Hahhahahaha...

Um exercício simples pra acabar com as dores no nervo ciático e lombar

O nervo ciático é um dos maiores e mais importantes em nosso corpo. Ele se inicia na parte inferior da espinha dorsal e cai até a coxa, os joelhos e o calcanhar. Algumas de suas ramificações vão até os dedos dos pés.
O nervo ciático pressionado pode causar uma dor severa nas costas e na parte posterior da coxa. Este problema é mais frequente em pacientes com idades entre 35 e 50 anos.
As dores no ciático começam como um desconforto na área lombar, fatiga e dores nas pernas. Gradualmente a dor aumenta e pode se espalhar para toda a superfície da perna. Se deixadas sem tratamento, estas dores podem ser incapacitantes.
É importante procurar um médico nos estágios iniciais das dores para prevenir quaisquer complicações, mas antes de ver um médico, você pode fazer um exercício simples pra aliviar esta dor:
  1. Sente-se no chão com as pernas a sua frente;
  2. Junte as solas e as palmas dos pés e aproxime seu calcanhar o mais próximo do seu corpo o possível;
  3. Abaixe as suas pernas tentando tocas o chão com seus joelhos;
  4. Permaneça nesta posição por 30–60 segundos aumentando o tempo e respirando calmamente.
A “borboleta” é considerada pelos praticantes de ioga como mais benéfica para mulheres. Ela tonifica os rins, trata problemas urogenitais e previne hérnias e radiculite nas costas. Ela também é desestressante e fortifica o útero e o músculo urinário.
Se você fizer este exercício simples regularmente a dor e o desconforto certamente vão 

19/07/16

Tudo sobre a acessibilidade no período das Olimpíadas e Paraolimpíadas.

Tudo que se precisa saber sobre a Operação e acessibilidade no período Das OLIMPÍADAS E PARAOLIMPÍADAS*

*QUANDO:*
Olimpíada - 5 a 21 de agosto 
Paraolimpíada - 7 a 18 de setembro

*ONDE:*
4 regiões olímpicas - Barra, Deodoro, Copacabana e Maracanã. 50% dos Jogos acontecem na Barra
32 áreas de competições.
41 modalidades esportivas olímpicas
22 modalidades paralímpicas

*HORÁRIO:*
São aproximadamente 1.000 Sessões Esportivas entre 7:00am até as 2:00am. Média de 35 eventos por dia.

*QUEM:*
206 países nas Olimpíadas / 176 nas Paralimpíadas
10.500 Atletas Olímpicos / 4.500 Paralímpicos
+ 100 Chefes de Estado

*ESPORTES*
41 modalidades olímpicos / 22 paralímpicos
Com a divisão por modalidades olímpicas e paralímpicas, será realizado o equivalente a 65 campeonatos mundiais.

*PROVAS DE RUA* - não precisa de ingresso p/ assistir.
- Ciclismo de Estrada: Copacabana -> Guaratiba
06/08 sábado - 09:30 - 16:10
07/08 domingo - 12:15 - 16:40
- Ciclismo Contra Relógio: Barra
10/08 quarta-feira - 08:30 -13:20
- Marcha Atlética: Barra Pontal
12/08 sexta-feira - 14:30 - 16:10
- Maratona: Centro
14/08 domingo - 09:30 - 12:30
21/08 domingo- 09:30 - 12:15
- Triatlo: Copacabana
18/08 quinta-feira - 11:00 -13:30
20/08 sábado - 11:00 -13:40

*FÉRIAS ESCOLARES* (recesso escolar)
1º a 28 de Agosto

*FERIADOS*
5 de agosto (sexta) - Cerimônia de Abertura
18 de agosto (quinta) - Prova de Triatlo
22 de agosto (segunda) - volta da família Olimpica.

*DIAS PICOS*
12, 16 e 17 de Agosto - são os dias de maiores fluxos de público. Todos dias de semana sexta, terça e quarta.

*CARTÃO DE MOBILIDADE DOS JOGOS*
A única forma de chegar nas Instalações Olímpicas será através de transporte público. O cartão Olímpico será válido para BRT, VLT e Trem
VALORES -1 dia - R$25 / 3 dias - R$70 / 7 dias - R$160 - Compra pela internet a partir de 21/6 e nos pontos de vendas a partir de 15/7

*TOCHA OLÍMPICA*
- Chegada da Tocha no Estado do Rio - 27/7
- Revezamento no Grande Rio - 2/8
- Revezamento na cidade - 4 e 5/8
+ de 12 mil pessoas vão correr 300m com a Tocha, passando por 329 cidades em quase 100 dias

*ACESSO INSTALAÇÕES OLÍMPICAS*
PQ OLÍMPICO - acesso exclusivo via BRT Transcarioca ou Transolímpica. Destino: Terminal Olímpico ou Estação Rio 2.
DEODORO - 
1 - Via Centro - Supervia: sair na estação Magalhaes Basto p/ competições equestre e Estação Ricardo de Albuquerque p/ o Pq. Radical.
2 - Via Barra - pegar BRT Magalhães.

*FAIXAS OLÍMPICAS*
- 260 km de Faixas Olímpicas (164km de faixa dedicada para familia Olímpica e 96km faixa compartilhada/prioritária)
- Multa de R$1.500 para quem transitar na faixa olímpica.

*RESUMO DATAS:*
24/7 - Abertura da vila
3/8 - Chegada da tocha no grande Rio
5/8 - Abertura dos Jogo
21/8 - Cerimonia encerramento 
24/8 - Fechamento Vila Olímpica
31/8 - Abertura Vila Paralímpica 
7/9 - Cerimonia Abertura Paraolimpíadas
18/9 - Cerimonia Encerramento
21/9 - Fechamento Vila Paralímpica

*HOSPITAIS DE REFERÊNCIA*
- Barra - Lorenço Jorge 
- Copacabana - Miguel Couto
- Deodoro - Albert Schweitzer
- Maracanã - Salgado Filho / Souza Aguiar

*MEDIDAS PARA AJUDAR*
- Evite usar carro no período dos Jogos
- Se for empresário, dê férias coletivas ou incentive o Home Office
- Reveja sua rotina e se planeje.


Mais informações entre no site abaixo:

http://www.cidadeolimpica.rio/

18/07/16

Sistema imunológico X comportamento antissociais


A vida em sociedade é um grande desafio para o seu corpo. Quanto mais interação social, maior a exposição a microorganismos e, por isso, o sistema imunológico teve que evoluir junto às nossas habilidades sociais. O que cientistas da Universidade de Virgínia descobriram agora é que o sistema imunológico também age regulando o seu comportamento perto de outras pessoas.

Os cientistas criaram uma geração de ratos que não produz interferon-gama, uma molécula (também produzida no corpo humano) importante no combate de vírus, bactérias e alguns protozoários. A ausência dela teve um efeito determinante nas relações sociais entre os ratos.

Os ratinhos imunodeficientes se isolavam, tinham comportamentos antissociais e muita dificuldade de se relacionar uns com os outros. Quando os pesquisadores observaram o cérebro deles com ressonância magnética, descobriram que parte do córtex pré-frontal não estava se comportando normalmente. É justamente essa região que é responsável por regular como você age em grupo e suahabilidade para fazer amigos.

Depois, eles injetaram a molécula de volta no sistema imunológico dos ratos. O resultado foi imediato: a ressonância passou a apresentar resultados normais e os ratinhos voltaram a se relacionar entre si. 

Os autores do estudo estão certos de que os resultados indicam que o sistema imunológico ajuda a regular comportamentos sociais e traços de personalidade. A teoria deles é que a evolução tenha um papel importante nessa relação: ela tornava as pessoas mais saudáveis mais sociáveis, e as mais vulneráveis mais isoladas, para que evitassem andar em grandes grupos, o que aumenta a chance de contaminação por microorganismos.

Mas mais do que determinar se você vai ser uma pessoa cheia de amigos ou menos popular, os cientistas estão animados com o significado dessa descoberta para doenças como autismo e esquizofrenia.

Com a deficiência imunológica, o cérebro dos ratos tinha regiões do córtex hiperativas, igualzinho acontece com pacientes autistas. A partir da reintrodução do interferon-gama, o cérebro voltou ao normal.

Se o palpite dos cientistas estiver certo, a chave para a cura do autismo (e o segredo da popularidade) pode estar bem longe do cérebro, no sistema de proteção do corpo onde ninguém tinha pensado em procurar.