04/12/2013

Estudos associam consumo de Herbalife a lesões no fígado





Produtos da Herbalife, uma das marcas de suplementos alimentares para emagrecer mais conhecidas, foram objeto de estudos clínicos sobre intoxicação no fígado na Suíça e em Israel, e publicados em 2007 no Journal of Hepatology, revista científica européia, uma das mais conceituadas na área. Ambos os estudos relacionam o uso de produtos da marca Herbalife e lesões hepáticas graves, como morte de células ou parte do tecido do fígado (necrose) e inflamação do fígado (hepatite). A divulgação dos artigos alertou pesquisadores, inclusive da Universidade Estadual de Maringá (UEM), sobre riscos à saúde aos quais consumidores de produtos ditos naturais, vendidos como suplementos alimentares ou dietéticos, podem estar sujeitos. Na avaliação do professor de Farmacologia da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Roberto Bazotte, o registro e a comercialização deste tipo de produto sem que sejam feitos exames de toxicidade prévios é um equívoco. O alerta chegou também à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que solicitou os processos de todos os produtos registrado no País pela empresa Herbalife International do Brasil Ltda., para reavaliação dos mesmos quanto à segurança de uso como alimentos. Em vários países, incluindo o Brasil, o registro sanitário de suplementos alimentares ou dietéticos é feito na categoria ?alimentos?, e não ?medicamentos?, o que os livra dos rigorosos processos de aprovação e controle. O fato dos pacientes acompanhados terem ingerido entre três e 17 diferentes produtos Herbalife, torna extremamente difícil, senão impossível, identificar o agente causador da intoxicação, até porque a empresa se recusou a fornecer as fórmulas para análise detalhada. As suspeitas recaem sobre a efedrina e o N-nitroso-fenfluramina. Stickel também respondeu a reportagem de O Diário por e-mail. Ele acredita que a Herbalife tentará questionar a relação entre a ingestão dos produtos e as lesões no fígado, mas não está seguro sobre a utilidade da informação para os consumidores. "Talvez os pacientes se tornem mais céticos, mas tenho dúvidas que isso vá acontecer. A procura por esse tipo de produto é inacreditável e rende bem no bolso daqueles que acreditam que isso só faz bem."
Estudo recomenda cautela Em Israel, o estudo "Association between consumption of Herbalife nutritional supplements and acute hepatotoxicity" (Associação entre consumo do suplemento alimentar Herbalife e hepatotoxicidade aguda) foi feito a pedido do Ministério da Saúde, após serem identificados quatro casos de hepatite associados ao consumo dos produtos da marca, em 2004. Uma investigação em diversos hospitais do país teve início. Doze pacientes com lesões idiopáticas (sem causa conhecida) no fígado, que faziam uso de produtos Herbalife foram acompanhados. Do total, 11 eram mulheres. Duas já tinham lesões e pioraram com o consumo dos produtos. Por volta do 11º mês de uso, os danos ao fígado começaram a se manifestar. Onze pacientes superaram o quadro de hepatite sem seqüelas. Três deles, que voltaram a consumir produtos Herbalife, desenvolveram a doença novamente. O transplante de fígado foi necessário para um deles, que não sobreviveu. Os cientistas recomendam cautela aos consumidores de produtos Herbalife e parecidos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário